CDL/BH repudia postura cruel e desumana da prefeitura de Kalil

Apoio ao Comércio

Desde o início da pandemia, o prefeito Alexandre Kalil virou as costas para o comércio. Tomou decisões de forma autoritária e sem diálogo com o setor da nossa economia que mais se sacrificou para salvar vidas, o de comércio e serviços, que representa 72% do PIB da nossa cidade e emprega mais de um milhão de trabalhadores. Tomou decisões arbitrárias e sem coerência até mesmo com a Ciência que ele diz tanto se amparar.
 
Nosso sentimento é de indignação. Porém, a notícia da permanência do comércio fechado e sem previsão para reabertura não é nenhuma surpresa. Afinal, Kalil não cumpriu a sua promessa de abrir leitos – 729 de UTI e 1752 de enfermaria. Promessa que foi feita no início de maio. Caso a promessa do prefeito tivesse sido cumprida, hoje teríamos 52% de taxa de ocupação nos leitos de UTI e 43% na enfermaria. Índices que permitiriam a reabertura segura do nosso comércio. A fala do Secretário de Saúde do prefeito Kalil, Jackson Machado, na coletiva de hoje foi muito clara. A Prefeitura poderia abrir estes leitos. Mas não investe nessa abertura dos novos leitos e faz a clara opção por manter o comércio fechado.
 
Enfim, a Prefeitura economiza, mas quem paga a conta é o comércio. Somente lembrando, a Prefeitura recebeu mais de 130 milhões de reais do Governo Federal para investir no combate à doença. O Secretário ainda desdenhou da situação. Falou com um ar de deboche “que mais 15 dias fechado não mata ninguém”, postura bem típica do seu chefe. Trata um assunto tão sério com requintes de crueldade.
 
Chega a ser desumana e tirânica a postura insensível da prefeitura diante da quebradeira de milhares de negócios em nossa cidade, diante de milhares de trabalhadores perdendo seus empregos e tantas famílias sem o sustento, passando por necessidades. O pior e mais grave de tudo é que nem vidas estão salvando. Nos últimos 30 dias, período em que o comércio ficou fechado, o número de mortes em Belo Horizonte teve um aumento de mais de 300%. Lamentavelmente, passamos de 129 para 528 óbitos.  Belo Horizonte foi a primeira a fechar e será a última a abrir o comércio. É hora de todos refletirem sobre quem é o culpado dessa triste e deprimente situação que vivemos hoje em Belo Horizonte.

Notícias Recentes

Prefeitura suspende os alvarás de funcionamento das instituições de ensino
25/09/2020 - Legislação e Justiça
Decreto 17.435/2020 suspende as atividades presenciais e os Alvarás de Localização e Funcionamento das creches, escolas de ensino infantil, escolas de ensino fundamental e médio, escolas superiores e centros de formação profissional.
Veja como ocorrerá a abertura de feiras permanentes em Belo Horizonte
24/09/2020 - Apoio ao Comércio
Segundo a Portaria, ficam autorizadas a retornar ao funcionamento, a partir de hoje, 24 de setembro, a Feira de Arte, Artesanato e Produtores de Variedades da Avenida Afonso Pena (Feira Hippie); a Feira de Bebidas, Comidas Típicas e Antiguidades Tom Jobim e a Feira de Plantas e Flores Naturais, ambas na Avenida Carandaí.
Comércio de Belo Horizonte registra queda de 8,83% nos sete primeiros meses do ano
24/09/2020 - Apoio ao Comércio
Desaceleração está diretamente ligada ao fechamento do setor e aos impactos causados pelo isolamento social
Governo Federal libera R$ 10 bilhões para micro e pequenas empresas
24/09/2020 - Apoio ao Comércio
Medida Provisória Nº 1002/2020 vai atender aos microempreendedores individuais, as microempresas e as de pequeno porte.

Seja um Associado »

Nossos Produtos

Compra de Mailing São listas personalizadas e segmentadas de acordo com perfil desejado para suas campanhas de marketing e outras finalidades
Cliente Espião Saiba qual a percepção os clientes têm da sua loja
Score de Recuperação Saiba qual a probabilidade de seus clientes inadimplentes pagarem a dívida

... Carregando...