Dia das Mães deve ser o melhor dos últimos sete anos para o comércio

CDL na Mídia

Considerada a segunda data comemorativa mais importante para o varejo, o Dia das Mães deste ano deve ser o melhor em vendas dos últimos sete anos. Segundo levantamento realizado pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), a expectativa é de crescimento de 2,43% nas vendas, em relação ao mesmo período do ano passado,  o maior percentual de aumento registrado desde 2013. Com esse crescimento, R$ 2,18 bilhões devem ser injetados no comércio da capital mineira em maio com as vendas dos presentes do Dia das Mães. “Essa expectativa maior reflete a melhora do cenário econômico. Com o processo de recuperação da economia, mesmo que em ritmo lento, as pessoas deverão presentear mais, contribuindo para a retomada do crescimento do setor. Além disso, a data possui um forte apelo emocional, e a maioria dos consumidores têm o costume de presentear as mães”, justifica o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva.

E os empresários do comércio da capital também estão otimistas com a data. De acordo com uma pesquisa feita pela CDL/BH, com 301 lojistas, no período de 12 de março a 12 de abril, 64,1% dos entrevistados acreditam que as vendas do Dia das Mães deste ano irão aumentar em relação ao ano passado.  “Em 2018 todas as datas comemorativas apresentaram resultados positivos, por isso o segmento está confiante que os consumidores irão às compras para presentear neste Dia das Mães”, comenta Silva. O percentual de entrevistados que consideram que as vendas serão iguais as de 2018 foi de 28,2%. Apenas 7,6% dos empresários esperam que as vendas sejam menores. No ano passado o percentual de lojistas pessimistas era de 14,9%, quase o dobro do registrado agora. “Esse resultado demonstra que os empresários estão mais esperançosos com a retomada da economia do País. Com uma taxa de juros mais baixa, e uma leve redução do desemprego, os consumidores estão recuperando seu poder de compra, o que favorece as vendas do varejo”, explica o presidente da CDL/BH.

Em relação ao estoque para as vendas no Dia das Mães, a maioria dos lojistas (55,8%) deve manter o mesmo volume do ano passado. Já 37,5% disseram que vão aumentar e 6,6% dos empresários entrevistados afirmaram que irão reduzir o estoque.  

Roupas, calçados, joias e bijuterias serão os produtos mais procurados para presentear as mães

As roupas devem ser os itens mais buscados pelos belo-horizontinos na hora das compras para presentear as mães, conforme a opinião de 45,8% dos empresários. Em seguida, estão os calçados com 22,6% da preferência e as joias e bijuterias com 12% das respostas. Segundo o presidente da CDL/BH, esses produtos têm uma boa saída devido à grande variedade de opções e preços. “São itens que se encaixam no orçamento do consumidor e que agradam bastante”, afirma. Também foram citados os utensílios domésticos (10%), os perfumes/hidratantes (9,6%) e as bolsas (9,3%). (Lista completa dos produtos na apresentação)

Tíquete médio esperado é de R$ 136,92, valor é 5,1% maior do que em 2018

Os empresários acreditam que os consumidores irão investir mais este ano nos presentes para as mães. A expectativa é que o tíquete médio das compras dos belo-horizontinos seja de R$ 136,92. O valor esperado é 5,1% maior em relação a 2018, quando o tíquete foi de R$ 130,23.  “Este aumento no valor é reflexo da queda dos juros, que favorece a tomada de crédito e a negociação das dívidas. E mesmo que a alta seja pequena em relação ao ano anterior, já é positiva para o comércio”, esclarece o presidente da CDL/BH. De modo geral, para a maioria dos comerciantes (30,6%), o consumidor deve gastar entre R$ 50,01 e R$ 100. Outros 19,6% acreditam que o valor será de       R$ 100,01 a R$ 150.

pesquisa também mostra que o valor a ser desembolsado pelo consumidor pode variar conforme o tipo de presente escolhido. Segundo os empresários, quem for dar bolsas como presente para as mães vai desembolsar o maior valor, cerca de R$ 150. O custo com calçados deve girar em torno de R$ 147,43 e das roupas em R$ 138,41. Em seguida aparecem: joias e bijuterias (R$ 133,33); utensílios domésticos (R$ 93,33); perfumes e hidratantes (R$ 88,79) e maquiagens (R$ 79,17).

Em relação ao número de presentes, a maior parte dos empresários (78,1%) acredita que os consumidores irão comprar um ou dois produtos.

Parcelado no cartão de crédito será a forma de pagamento mais utilizada

Para a maior parte dos empresários (49,5%), a forma de pagamento mais utilizada para as compras do Dia das Mães será o parcelado no cartão de crédito, com uma média de cinco parcelas. As demais formas de pagamento citadas pelos empresários foram: cartão de débito (18,3%); à vista no cartão de crédito (12,6%); dinheiro (8,6%); à vista no cartão da própria loja (6%); parcelado no cartão da própria loja (2%); parcelado no carnê/crediário (1,7%) e parcelado no cheque (1,3%).

Decoração da loja e a divulgação dos produtos pelas redes sociais estão entre as principais estratégias para alavancar as vendas

Na opinião da maioria dos comerciantes, a decoração da loja (80,4%) e a divulgação dos produtos (78,7%) são as principais alternativas para alavancar as vendas no Dia das Mães. E as redes sociais (Whatsapp, Facebook e Instagram) têm sido a forma mais utilizada pelos lojistas para divulgação de seus produtos e da sua marca. “Esse tem sido o meio mais eficiente para expor os itens e chegar até os consumidores com um baixo custo de investimento e alto retorno”, comenta o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza. “Além disso, as pessoas estão cada vez mais conectadas às redes sociais, e são influenciadas por elas no momento das compras. De acordo com uma pesquisa feita pela CDL/BH, 66,7% dos consumidores são influenciados sempre, quase sempre ou às vezes pelas redes sociais na hora de consumir”, acrescenta.

As demais estratégias citadas foram*: promoção/liquidação dos produtos (55,1%); flexibilidade/facilidade de pagamento (19,6%); aperfeiçoamento do atendimento (6,6%); qualidade/mix de produtos (4,7%) e distribuição de brindes (1,3%). Não vão apostar em nenhuma estratégia ou ainda irão planejar somaram 5% dos entrevistados. (*) Resposta múltipla

Além das redes sociais, as outras formas de divulgação que os comerciantes pretendem utilizar são*: cartazes/faixas na vitrine da loja (40,9%); boca a boca (11%); site da empresa (10,6%); carro de som (4,7%) e outros (jornal, rádio, televisão) (2,7%). Os que não irão divulgar representam 9,3%. (*) Resposta múltipla

O que pode ajudar ou prejudicar as vendas no Dia das Mães

Na opinião dos lojistas da capital, entre os fatores que podem contribuir para alavancar as vendas no Dia das Mães estão: queda na taxa de desemprego (30,9%); divulgação (17,3%); promoções (15,6%); atendimento (10,3%), queda da inadimplência (8,6%); queda dos juros (5,3%); aumento do fluxo de clientes (2,3%) e o aumento da confiança do consumidor na economia (1,3%). Os que não responderam somaram 7%.

Em contrapartida, as principais opções citadas na pesquisa que podem prejudicar as vendas presenciais, segundo os lojistas, são: desemprego (27,6%); aumento do preço dos produtos (26,6%); diminuição da renda disponível (13%); atendimento ruim (8,6%); melhorar a economia (8,3%) e a concorrência (3%). (Lista completa na apresentação)

Metodologia – Foram entrevistados 301 empresários de Belo Horizonte, nos principais corredores comerciais, no período de 12 de março a 12 de abril de 2019.

Documentos em Anexo

Notícias Recentes

Você conhece o SOS Soluções da CDL/BH?
20/06/2019 -
Sempre que precisar de um canal de intermediação, junto aos órgãos públicos, para fazer suas reivindicações, dar sugestões ou mesmo relatar e resolver problemas, que afetam a sua região ou seu negócio, a CDL/BH disponibiliza para você, associado, o SOS Soluções.
Funcionamento do comércio é destaque entre os assuntos desta quarta-feira
19/06/2019 -
Leia as principais notícias desta quarta-feira, 19 de junho.

Seja um Associado »

Nossos Produtos

Score de Recuperação Saiba qual a probabilidade de seus clientes inadimplentes pagarem a dívida
Consultas Confirme os dados cadastrais e a análise de crédito de consumidores, empresas e grupos econômicos de todo o país
Jovens Aprendizes o elo entre os jovens em busca da primeira experiência profissional e empresas socialmente responsáveis.

... Carregando...